top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

12% dos residentes de Cerveira tem naturalidade estrangeira



A população do município de Vila Nova de Cerveira sendo, em larga medida, de naturalidade portuguesa, "tem visto crescer os efetivos de naturalidade estrangeira", constata o Município. De acordo com a autarquia, "os residentes de naturalidade estrangeira têm aumentado a sua representação local, correspondendo já a 12,3%."

De acordo com os resultados (ainda) provisórios dos Censos 2021 disponibilizados pelo INE - conforme apresentado publicamente pelo município cerveirense, em março do corrente ano, através da iniciativa “Em Cerveira Acontece” e sob o mote: “Demografia do Município de Vila Nova de Cerveira – Resultados dos Censos 2021 em Debate” -, "a população do município de Vila Nova de Cerveira contempla 8.923 residentes, um número inferior ao registado nos Censos 2011 que era de 9.253 residentes, correspondendo a uma variação negativa de 3,6%", refere o Município em comunicado.


No entanto, o município tem visto crescer os efetivos de naturalidade estrangeira, tendo "aumentado os residentes de naturalidade estrangeira de fora da União Europeia de 414 para 698, passando a representar 7,8% da população em 2021, quando representavam 4,5% em 2011, correspondendo a uma variação positiva de 68,6%."


Por isso, e com vista a perceber estes números, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira vai apresentar, no próximo dia 16 de novembro, o Diagnóstico da População Imigrante Residente no Concelho.


Para o autarca de Vila Nova de Cerveira “as questões populacionais adquirem, a cada de dia que passa, uma importância acrescida em Vila Nova de Cerveira, no Alto Minho, em Portugal, na Europa e no Mundo, com as mudanças demográficas mais recentes, que, em várias geografias, acentuam tendências que vêm de trás. As questões demográficas, nomeadamente os desequilíbrios demográficos e as políticas de natalidade e de imigração, apresentam-se, hoje, a par das alterações climáticas, das desigualdades sociais e territoriais, do repto das novas tecnologias, das guerras e das pandemias, como um dos maiores desafios que pairam no mundo, obrigando ao estabelecimento de novas prioridades no que à agenda do futuro diz respeito”.

Por isso, este estudo visa a elaboração de um diagnóstico da população imigrante residente no município de Vila Nova de Cerveira, tendo em consideração a concretização de três objetivos centrais: determinar a dimensão e representação da população imigrante nas várias freguesias do concelho, conhecer o perfil dos imigrantes numa perspetiva demográfica para a totalidade dos imigrantes residentes e numa perspetiva social para a totalidade dos imigrantes individuais e para os representantes dos agregados familiares, residentes em Vila Nova de Cerveira e compreender a situação dos imigrantes (a partir de uma amostra) em diferentes dimensões, entre as quais, a composição familiar, a habitação, as causas da migração, emprego e empreendedorismo, educação e saúde, assim como, a integração na comunidade e o relacionamento com entidades e serviços públicos.

“Será, depois, com base neste Diagnóstico, numa lógica de conhecer mais para agir melhor e contribuir com recomendações para a política pública de integração de imigrantes, que se desenvolverá o Plano Municipal para a Integração de Migrantes (PMIM), tendo em vista o desenvolvimento de políticas públicas transversais e setoriais, no que às migrações se refere, almejando a atração de novos migrantes, a integração dos imigrantes e a gestão e valorização da interculturalidade”, conclui Rui Teixeira.


A apresentação pública do diagnóstico da população imigrante realiza-se no Auditório José Manuel Carpinteira do Fórum Cultural de Cerveira, às 18h00, assinalando, também, o Dia Internacional da Tolerância.

A sessão iniciará com a intervenção do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, à qual se seguirá a apresentação do diagnóstico, por José Cunha Machado, Professor da Universidade do Minho. A aplicação dos resultados do diagnóstico no território de Vila Nova de Cerveira, tendo em vista a criação do Plano Municipal para a Integração dos Migrantes, será apresentada por Cristina Martins, Técnica Superior da autarquia cerveirense. A sessão de encerramento ficará a cargo de Sónia Pereira, Alta Comissária para as Migrações.




0 comentário

Yorumlar


bottom of page