top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Aluna da Universidade do Minho vence Prémio de Investigação da APAV



Gracieli Silva, estudante do doutoramento em Sociologia da Universidade do Minho, venceu ex-aequo o Prémio Investigação 2022 da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), por um estudo sobre a violência doméstica, informou hoje aquela instituição de ensino superior. O prémio tem o apoio da Fundação Montepio e o valor de 1500 euros, tendo nesta 8ª edição sido partilhado ex-aequo com Sara Cardoso, que estudou a violência doméstica em idosos.

A distinção foi entregue em Lisboa e reconhece a qualidade da dissertação de Gracieli Silva, “Flores no Inferno”, defendida no mestrado em Comunicação, Arte e Cultura da UMinho.


Gracieli Silva mostrou-se “muito feliz” pelo prémio, tal como a sua orientadora e diretora do doutoramento em Sociologia, Emília Araújo: “Endereço os parabéns pela distinção, que tem elevado valor simbólico para a UMinho e foca uma área de pesquisa pertinente e controversa”. No seu trabalho, a autora entrevistou mulheres numa relação conjugal de dois ou mais anos que sofreram agressões emocionais, físicas, financeiras e sexuais. A designação “Flores do inferno” deve-se a cada uma delas ser tratada pelo nome de uma flor, protegendo a sua identidade. A investigadora concluiu que “as estratégias de comunicação sobre a violência são fundamentais, não retratando todas as mulheres vítimas como submissas, infelizes, fracas e desinformadas", sendo várias as suas razões para continuarem na relação. Verificou-se ainda que elas não falavam das agressões a familiares e amigos, que desconheciam, assim, a situação. As várias dimensões do estudo contribuem, por isso, para a consciencialização social do papel de cada um neste fenómeno, o qual tem aumentado no mundo, realça a também investigadora colaboradora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da UMinho.

Gracieli Silva nasceu no Brasil e vive em Braga. É formadora, consultora, atriz e apoia causas cívicas, como o Coletivo Anônimas e o Centro Seara de Amor e Luz. O Prémio de Investigação da APAV destina-se a premiar trabalhos de investigação científica sobre temas ou problemas ligados à missão desta associação, ou seja, apoiar as vítimas de crime, seus familiares e pessoas amigas.







0 comentário

Comentarios


bottom of page