top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

APP Bioregisto conta com 3195 observações submetidas de 792 espécies

A APP BioRegisto, uma inovadora iniciativa da Câmara Municipal de Viana do Castelo, já registou um total de 3195 observações submetidas correspondentes a 792 espécies registadas e validadas e 220 utilizadores registados. Criada em 2018, a aplicação móvel tem um fim científico, mas destina-se a todos os públicos e corresponde a uma plataforma de ciência cidadã lançada pelo município para registo de observações da biodiversidade.




mão a segurar um cogumelo

"Os dados reportados no BioRegisto são utilizados tanto pelo Município de Viana do Castelo em ações de educação ambiental, por exemplo, como por grupos de investigação a nível nacional em trabalhos académicos", revela a autarquia em nota de imprensa. A APP BioRegisto constitui a primeira plataforma de Ciência Cidadã que o município coloca à disposição de todos os públicos, permitindo a identificação de espécies de todo o território nacional. Permite, assim, a qualquer cidadão, inserir registos fotográficos de espécies animais, vegetais, rastos e vestígios de qualquer localização.


A plataforma visa a divulgação do património biológico, contribuindo para a sua conservação através do conhecimento. Desde 2020, conta com uma aplicação móvel, facilitando e agilizando a participação de todos.

pessoas registando um animal numa app do telemóvel

Cumprindo os princípios de ciência cidadã, estabelecidos pela Associação Europeia de Ciência Cidadã, o BioRegisto encontra-se integrado na EU-Citizen.Science - plataforma online para partilha de conhecimentos, ferramentas, formação e recursos de ciência cidadã.


"Com o objetivo de auxiliar os utilizadores da plataforma BioRegisto e outros cidadãos interessados a identificar espécies em saídas de campo e a reconhecerem e registarem através de fotografia características úteis para a identificação dos seres vivos, o município tem vindo a realizar ciclos de workshops teórico-práticos orientados por especialistas reconhecidos a nível nacional", explica.

réptil em cima de uma rocha repleta de musgo

Estes ciclos de workshops BioRegisto efetuam-se desde 2022 e contam com uma forte adesão do público. Neste ano, serão realizados seis workshops com os seguintes temas:

  • “Flora invasora” | dia 23 de março, das 10h – 17h | formadora: Elizabete Marchante, Universidade de Coimbra;

  • “Mamíferos” | dia 20 de abril, das 10h – 12h | formador: Vasco Flores Cruz;

  • “Répteis” | dia 18 de maio, das 10h – 12h | formador: Vasco Flores Cruz;

  • “Flora aquática, ripícola e halófita” | dia 6 de julho, das 10h -12h | formador: Jael Palhas, Universidade de Coimbra;

  • “Líquenes” | dia 26 de outubro, das 10h – 12h | formadora: Joana Marques, Universidade do Porto;

  • “Cogumelos” | dia 9 de novembro, das 10h – 17h | formador: Rui Cardoso, Associação Aldeia.

cartaz do ciclo de workshops

"É objetivo do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental dar continuidade e promover este projeto, fomentando junto do público em geral e do público escolar o aumento do conhecimento sobre a biodiversidade do território", conclui.



0 comentário

Comments


bottom of page