top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Apresentado Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação de Monção

O Município de Monção apresentou publicamente, hoje, dia 9 de março, o Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação (PMIND), numa cerimónia que teve lugar no Museu Monção&Memórias e reuniu dezenas de pessoas.




O documento vem dar sequência a todo o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Município ao nível da promoção da igualdade e não discriminação e dos compromissos assumidos com a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG). O PMIND é um documento estratégico local, integrando um plano de ação com medidas a implementar até 2025.


Analisadas as necessidades e problemáticas identificadas pela Equipa para a Igualdade na Vida Local, da qual fazem parte: António Barbosa - Presidente da Câmara Municipal de Monção; Vereadora Daniela Fernandes - Conselheira Interna para a Igualdade; Arcelina Santiago - Conselheira Externa para a Igualdade; Luís Nunes - Chefe de Divisão da Educação, Saúde, Juventude e Bem-Estar Animal; Catarina Leite - Divisão da Educação, Saúde, Juventude e Bem-Estar Animal; José Rodrigues - Chefe de Divisão da Ação Social, Cultura e Turismo; Joaquim Meira – Professor Coordenador do Departamento de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Monção; Marisa Matias – Investigadora Sénior da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, resultaram 11 objetivos operacionais, de dimensão interna e externa, “com vista a transformar Monção num concelho mais inclusivo e menos discriminatório, contribuindo para a eliminação de estereótipos e promoção da cidadania, de forma a que todos e todas possam ter uma participação plena na sociedade”, refere o documento.


O Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa referiu que, já desde 2017, “de uma forma natural, começámos a implementar um conjunto de mudanças em várias áreas” e que agora o PMIND “traz um contexto e uma responsabilidade acrescida porque é muito mais abrangente e com medidas muito concretas”.


De acordo com o autarca, o objetivo é “efetivamente implementarmos as medidas que constam do plano, percebermos onde é que existem entropias no processo dentro do funcionamento do Município, que vão contra aquilo que está no plano, e tentarmos ao máximo ir ao encontro daquilo que é o PMIND, afastando todas as desigualdades que, infelizmente, ainda existem”. António Barbosa salienta ainda que, a Câmara Municipal de Monção, enquanto organismo público quer “dar o exemplo” ao privado, mostrando que “de dentro para fora, é possível pôr instituições a funcionar e a funcionar bem, e percebendo e respeitando aquilo que é a igualdade de género, de respeito pelos outros”. Deu como exemplos: a integração no Município, de pessoas com algum tipo de limitação, e três Chefes de Divisão que são do sexo feminino.

homens e mulheres posando para a fotografia, sorrindo
Da esquerda para a direita: António Barbosa, Presidente da Câmara Municipal de Monção; as três vencedoras do concurso "Ser Mulher em Monção é..."; Manuel Albano, Vice-Presidente da CIG; Daniela Fernandes, Vereadora; Catarina Leite, psicóloga colaboradora do Município.

O Vice-Presidente da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), Manuel Albano, usando uma gíria futebolística, referiu que “o Município de Monção é mais um que se ‘junta ao clube’ dos municípios que já têm um compromisso efetivo com a igualdade”. Sendo que o objetivo desta apresentação pública do plano é “a apropriação individual por parte de cada um e cada uma de nós, mas também coletiva, enquanto representantes das instituições que fazemos”, considerou. Manuel Albano acredita que o PMIND de Monção “terá uma boa implementação, uma boa capacidade de execução e que fará a diferença positiva na vida das pessoas”. O Vice-Presidente da CIG apelou ainda a que “as pessoas deixem de normalizar a discriminação e passem a perceber a discriminação, a refletir sobre ela; a combatê-la a partir das suas práticas”.


Este é o terceiro município do Alto Minho [tal como Arcos de Valdevez e Ponte da Barca], a apresentar publicamente um Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação. Manuel Albano adiantou que, através da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), a CIG “está a trabalhar com outros municípios para virem também a aderir ao PMIND e a fazê-lo de um modo estrutural”.


Atualmente, no país existem 180 Planos Municipais para a Igualdade, estando outros em preparação.



VENCEDORAS DO CONCURSO “SER MULHER EM MONÇÃO É…”


Paralelamente à apresentação do Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação, foram entregues os prémios às vencedoras do concurso “Ser Mulher em Monção é…”, lançado pelo Município, no âmbito do Dia Internacional da Mulher.


Em primeiro lugar, ficou Mafalda Castro, que participou com uma pintura/tela, tendo conquistado 225 interações; em segundo lugar, Catarina Vilar, que participou com uma frase, tendo registado 211 interações, e por fim, a terceira vencedora, Ana Palmeira, que participou com o poema "Monção e o Dragão", que obteve 122 interações.

um homem e duas mulheres posando com bandeiras atrás
Mafalda Castro, com o Presidente da Câmara Municipal, António Barbosa, e a Vereadora Daniela Fernandes

homem e duas mulheres sorrindo
A vencedora do 2.º prémio, Catarina Vilar

homem e duas mulheres posando para a foto
Ana Palmeira, vencedora do 3.º prémio do concurso



0 comentário
bottom of page