top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Aproveitar os desafios para encontrar oportunidades marcou mensagem de aniversário da ESA-IPVC



Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESA-IPVC) celebrou o 37.º aniversário esta quarta-feira, e o dia ficou marcado pelo elencar de um conjunto de desafios para todas as Instituições de Ensino Superior. O presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, fez uma série de reflexões, apelando a uma maior proatividade de toda a comunidade académica.

"Olhar para os desafios e encará-los como oportunidades de mudança numa lógica de reflexão com vista à procura de soluções conjuntas para o melhor funcionamento de todas as Instituições de Ensino Superior". Foi esta a mensagem central deixada pelo presidente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Carlos Rodrigues, esta tarde, durante a celebração do 37.º aniversário da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESA-IPVC), em Ponte de Lima.

Carlos Rodrigues descrevia a Escola Superior Agrária como “um projeto de grande sucesso, construído ao longo de quase 40 anos”, para delinear uma série de desafios para o futuro das Instituições de Ensino Superior: “Temos de aprender com a história e olhar para o futuro, a começar pelas novas profissões. Quase que temos de fazer um exercício de adivinhação para saber quais são e formar jovens para essa realidade. Temos também de trabalhar no sentido da atualização de conhecimentos, com especial enfoque nos alunos ‘maiores de 23’. A multiculturalidade também é uma realidade que não podemos ignorar”, afirmou o presidente do Politécnico de Viana do Castelo, citado na nota de imprensa do IPVC, e defendendo uma integração completa para que cada instituição possa tirar “o melhor partido” de todos os alunos.

Carlos Rodrigues destacou, ainda, “a necessidade de flexibilização de horários e de flexibilização curricular como fundamentais para um acompanhamento pleno da realidade e uma capacitação maior dos estudantes, de forma a satisfazer as necessidades do mercado de trabalho”, numa lógica de “maior proatividade e menor reatividade”.

O presidente do Politécnico de Viana do Castelo abordou também a temática do abandono e do insucesso escolar como um problema que é necessário combater. “Quando temos um curso com uma taxa de abandono escolar de 50% ou uma taxa de insucesso escolar acima dos 60%, temos de refletir se a responsabilidade é só dos alunos. Temos de refletir sobre estas problemáticas com vista ao sucesso da própria instituição que é o IPVC”, rematou Carlos Rodrigues.


A diretora da Escola Superior Agrária, Isabel Valín, também abordou o tema do abandono e do insucesso escolar para defender o quão desafiante será o próximo ano: “Esperamos que o ano 2023 seja o ano em que o Centro de Inovação e Desenvolvimento saia do papel e se concretize permitindo desenvolver junto dos agentes sociais, económicos e culturais projetos de relevância regional, nacional e internacional e desejamos que a Iniciativa Legislativa de Cidadãos (ILC), que está a ser discutida na Assembleia da República, seja aprovada, possibilitando aos politécnicos outorgarem o grau de doutor", referiu.


Ao longo de 37 anos, têm sido vários os desafios colocados às Instituições de Ensino Superior para que possam acompanhar as necessidades do mercado de trabalho, em termos de investigação, transferência de conhecimentos e dinâmicas de formação. Neste âmbito, e atendendo ao território em que está inserida, a Escola Superior Agrária “desenvolve já diferentes linhas de conhecimento, nomeadamente as soluções baseadas na natureza, metodologias e técnicas, que contribuem para a intensificação sustentável da agricultura, preservação da biodiversidade e dos recursos endógenos (animal e vegetal) e adaptação e mitigação às alterações climáticas”, explicou a diretora da ESA. E esta adaptação ao mercado desenvolve-se, em grande medida, a partir das três unidades de investigação do IPVC acreditadas pela FCT, o CISAS, o proMetheus e o CIMO. “Destacamos, ainda, o conjunto de prestações de serviços que, através da nossa capacidade laboratorial e dos recursos humanos associados, procuram dar resposta às solicitações da região, contribuindo para aumentar a competitividade e a atratividade do território”, sublinhou, ainda, Isabel Valín, rematando com o protocolo recentemente assinado com a Câmara de Ponte de Lima, para a utilização conjunta das instalações do Centro de Bem-Estar Animal da ESA.

Pegando nas palavras da diretora da Escola Superior Agrária, o vereador da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Gonçalo Libório Rodrigues, sublinhou que a ESA “é um dos pilares de funcionamento e desenvolvimento da região, possibilitando à região oferecer respostas em termos de competitividade, investigação e inovação, através da capacitação, formação de recursos humanos e transferência de conhecimento. Por todo o trabalho desenvolvido, foi adjudicado à ESA a elaboração do Plano Municipal de Ação Climática e está também a colaborar com o Município na definição da estratégia para o plano florestal de Ponte de Lima”, concluiu.

Depois das intervenções iniciais, seguiu-se uma mesa-redonda sobre “O Modelo Tripla Hélice: que competências nas áreas das Ciências da Vida e da Terra?”, com participações da Zendal, Espaço Visual, CIM Alto Minho, The Navigator Company e da AGROS. A mesa-redonda pretendeu colocar em cima da mesa os vários contributos que os diversos setores podem dar para que se atinja a sustentabilidade ambiental sem descurar da sustentabilidade económica e social.

A assinatura de protocolos com a Câmara Municipal de Ponte de Lima, a FERA (Federação Nacional das Associações das Raças Autóctones), a ALAAR (Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua) e a Zendal, assim como a inauguração da exposição INFORISK (Infromar sobre os riscos associados às alterações climáticas no Alto Minho) também marcaram a data festiva.

Com mais de 670 alunos matriculados, num total de três mestrados, quatro licenciaturas e cinco CTeSP, "a ESA-IPVC prepara-se para aumentar a oferta formativa com duas novas pós-graduações: “Uma só saúde”, no âmbito do projeto PRR-BAITS, e “Sistemas Agroalimentares sustentáveis e de comercialização em circuitos curtos”, em articulação com a AgroB", adiantou a instituição em comunicado.


As cerimónias comemorativas do 37.º aniversário da ESA-IPVC contaram, ainda, com a atuação da TESA (Tuna da Escola Superior Agrária) e da TUNESA (Tuna Feminina da Escola Superior Agrária).



0 comentário

Comments


bottom of page