top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Arcos de Valdevez recebeu duas centenas de participantes no 6º Congresso internacional "Casa Nobre"



O Município de Arcos de Valdevez realizou de 10 a 12 de novembro a 6ª edição do Congresso Internacional subordinado à temática da Casa Nobre: Um Património para o Futuro, dando desta forma seguimento a um projeto consolidado de estudo da memória, arquivo, heráldica, genealogia, defesa e valorização do património construído, turismo e desenvolvimento regional, entre outros.

A edição deste ano contou com quatro palestras, e duas mesas-redondas, apresentação de dois livros, uma sessão de cinema e 66 comunicações provenientes de diversos investigadores nacionais e estrangeiro, bem como com cerca de 200 pessoas inscritas.

O Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, referiu que este Congresso se “insere num conjunto vasto de iniciativas de valorização do património cultural construído que o Município tem estado a dinamizar, com o propósito de reforçar o sentimento de pertença dos cidadãos e da identidade local; valorizar e reabilitar o património e o espaço urbano; promover o turismo e o desenvolvimento socioeconómico da região”.


Neste âmbito, afirmando que a valorização do património cultural se assume “como um dos pilares do processo de Desenvolvimento Sustentável que preconizamos para Arcos de Valdevez”, destacou a reabilitação de monumentos nacionais, como “o Paço de Giela e o CIB/Igreja do Espirito Santo”; a criação das Oficinas de Criatividade Himalaya, “que hoje já pertence à rede nacional de centros de Ciência Viva; a reabilitação da Casa/Castelo de Sistelo e do Centro Etnográfico de Soajo; a criação do Centro Interpretativo Arqueológico Mezio-Gião; a “reabilitação dos dois fortins do extremo do séc. XVII” e a “criação do Espaço Valdevez, o qual está em fase de conclusão.”


João Manuel Esteves deu nota também dos incentivos que o Município tem dado ao nível da reabilitação de privados, da promoção de procedimentos para a classificação nacional de património no concelho, “como a paisagem Cultural de Sistelo/Monumento Nacional”, estando também o Município a aguardar decisão sobre o “processo de classificação do santuário de Nossa Senhora da Peneda.”


Por fim, afirmou que a Câmara Municipal irá “continuar a investir na valorização do património cultural, motivando e envolvendo todos os arcuenses e visitantes”, assim como irá continuar a “pugnar junto do Governo para que haja um reforço efetivo dos meios financeiros necessários para a reabilitação e valorização de património cultural”.


O Congresso Casa Nobre teve como objetivo central "atrair e divulgar a investigação de qualidade em torno destes temas e problemáticas", bem como "colocar Arcos de Valdevez como centro assumido de estudo e valorização deste importante património histórico."







0 comentário

Comments


bottom of page