top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

ArtBeerFest Caminha arranca amanhã com 400 estilos de cerveja, 29 cervejeiras nacionais e 21 estrangeiras

10 de Julho, 2024

Entre 11 e 14 de julho está de volta a Caminha aquele que é considerado “o rei” dos festivais de cerveja nacionai e que é uma das três maiores referências em cerveja artesanal da Europa, eleito em 2023 como Melhor Festival não musical da Península Ibérica. No ArtBeerFest Caminha estarão disponíveis 400 estilos de cerveja para os amantes desta bebida.



diferentes copos de cerveja

O centro da vila, em plena zona histórica de Caminha, no Alto Minho, está engalanado para receber a 11ª edição do ArtBeerFest e os mais de 30.000 “peregrinos” que, a cada ano, inundam a foz do rio Minho numa celebração única, que, desde 2013, revoluciona a produção cervejeira moderna de Portugal.


A Suécia é a convidada especial de 2024 e traz cinco das suas mais vanguardistas marcas. O ArtBeerFest Caminha conta também com cervejeiras da Islândia, Noruega, Dinamarca, Letónia, Finlândia, Inglaterra, Eslováquia, Alemanha, Hungria, Chéquia, Suíça, França e Espanha.


As grandes marcas portuguesas com as suas novidades também estão presentes, numa mostra do melhor que se faz no nosso mercado e que em grande parte, deve a extraordinária forma que se vive no mercado ao ”fenómeno” Artebeerfest, que colocou Portugal na rota internacional da cerveja artesanal. Portugal estará representado com 29 cervejeiras. Entre as nacionais, referência especial para as artesanais e especiais da BROwers e da Seleção1927, um olhar novo das grandes cervejeiras nacionais para satisfazer a tendência de cervejas diferenciadas das ofertas correntes do mercado. Mas há também micro e nano cervejeiras dos quatro cantos do país, numa amostra da paisagem irrequieta e criativa do movimento cervejeiro moderno português.


"O já tradicional e simbólico momento de abertura do barril, que dá o tiro de partida ao festival, está este ano a cargo da lisboeta Fermentage, será também a estreia de grande parte das novidades e tendências mundiais do mercado cervejeiro global", destaca a organização do evento, a cargo da OG&Associados e Autarquia de Caminha.


"NEWSTALGIA" - ONDE É QUE EU JÁ PROVEI ISTO?


Na edição deste ano há ainda palco para uma das grandes tendências do momento: a “Newstalgia” – isto é, produzir novas cervejas baseadas no desejo de experimentar um sabor que nos é familiar, mas ainda assim, totalmente novo. O objetivo não é idealizar o passado, mas aproveitá-lo para criar um novo produto, relevante aqui e agora. E o ArtBeerFest é o palco primordial para ser utilizado pelas cervejeiras para marcar essas tendências.


Novidades garantidas são também algumas raridades e homenagens ao ArtBeerFest, que as marcas produzem para trazer especialmente ao público caminhense. Da setubalense Ophiussa Extravaganza, à “Caminha é Minha”, da Dois Corvos, ou uma autêntica peça de arte cervejeira da sueca Pomologik, uma fermentação mista de cerveja e sidra de maçã, envelhecida durante um ano numa preciosa barrica de Vinho de Carcavelos DOP.

programa do ArtBeerFest Caminha

Como tendência atual do mercado de consumo global, o festival terá as Lager Pils em grande dinâmica, e aqui a organização destaca a YODL uma produção colaborativa entre o projecto caminhense MØMBrewers e a Sueca Hyllie de Malmöe, uma Dark Lager ótima para acompanhar com gastronomia portuguesa. Imperial Stouts especiadas e frutadas, da Nerd Brewing, ou cervejas com massiva polpa de fruta a cair bem para o verão da Elmeleven, são o apanágio do potencial da criatividade cervejeira.


Convidadas especiais da área “Clássicas e Históricas”, a família bávara da Ayinger Privatbrauerei e a Budvar um património colectivo do Estado da Chéquia, para que o público perceba a idade secular da cerveja.


O workshop da Ayinger Privatbrauerei no Teatro Valadares - um dos pontos altos da programação - está esgotado desde a primeira hora, e revela o interesse crescente dos consumidores por aprender mais sobre cerveja.


FESTIVAL NÃO SE FAZ SÓ DE CERVEJA


Como nem só de cerveja se faz um festival, a gastronomia assume também um papel incontornável da harmonia degustativa com a cerveja. A organização convida o visitante a mergulhar na excelente oferta da restauração de Caminha, única e de enorme tradição. "Mas, para corresponder às expectativas dos muitos milhares de peregrinos, volta a estar garantido um leque de comidas de rua capaz de encher as medidas aos mais exigentes e a combinar com os diversos estilos cervejeiros presentes… tudo em torno da icónica praça do Terreiro", destaca.


MÚSICA ANIMA O ARTBEERFEST


Se esta harmonia cerveja-comida é perfeita, a animação é a ”cereja em cima do bolo” deste festival. Estes momentos estão entregues a bandas mobilizadoras como os já obrigatórios Farra Fanfarra – com atuações exclusivas para esta edição como fizeram nas 10 anteriores; os Simply Rockers Sound System, a exuberância das arruadas dos Festicultores, a Fanfarra da Vizinha, Nomadesh ou Mau Olhado.


"Mas também há DJ’s no cartaz. Nos pratos irrequietos e no som que paira pela zona histórica, o bom gosto dos botadores de discos e melómanos como Ricardo Beja (a fusão com assinatura Phephz, Carlos Fontoura (da “velha guarda”), o refresco de Maria Vai Com As Outras, o electro-vibe chill do pôr do sol com Iddu Colective, Aquela e o Outro. E, finalmente, o rock pop puro dos clássicos vibrantes de décadas com Mosca Aka Nuno para a “meia noite Caminhense” a passagem de ano do verão e símbolo de referência do ArtBeerFest Caminha a cada edição, onde as praças abarrotadas de júbilo se fundem no momento de glória", descreve a organização.


Paralelamente ao festival, o público pode fazer um passeio pela vila em torno da iniciativa ArtVibe Caminha, com exposições de artistas plásticos de todo o mundo, incluindo a exposição em grande escala dos posters originais das 11 edições do festival da autoria de vários designers, assim como a 7ª edição da Mikkeller World Beer Run, "uma prova em que correr e caminhar dá direito a uma cerveja", pelo belíssimo percurso de 10 km pelas margens do estuário do Rio Minho.


Para provar e degustar as cervejas, basta adquirir o acesso à experiência ArtBeerFest, por 4€, que inclui a oferta do copo oficial da 11ª edição, que foi desenhado pelo designer portuense HAGA e se revela a lembrança ideal para amantes de cerveja e colecionadores.

Este ano, as cervejas são pagas diretamente em cada cervejeiro, com o cartão bancário, MBway ou através das aplicações cashless em utilização.

cartaz do evento de cerveja

Para quem preferir, nas caixas centrais, existe a possibilidade de fazer carregamentos em efetivo (cash) em cartão próprio do festival. As habituais fichas ou tokens são assim substituídas por uma solução mais moderna e mais prática. As cervejas têm um valor a partir dos 2,5€ com valores médios de 4€/4,5€.


SUSTENTABILIDADE E MODERAÇÃO NO CONSUMO DE ÁLCOOL


A organização e o promotor, implementam um modelo de boas práticas de utilização, sustentabilidade ambiental e tratamento de resíduos em todo o perímetro da zona histórica.

Da mesma forma, recomendam - ativamente e em toda a área do festival - o equilíbrio e a moderação do consumo de álcool.


O festival recomenda também o acesso em bicicleta, propondo a utilização da excelente ciclovia da região e disponibilizando um parque especificamente montado para guarda das bicicletas.


ANIMAIS SÃO BEM-VINDOS NO ARTBEERFEST CAMINHA


Com uma mensagem de renovação que vira o primeiro ciclo de 10 anos, a organização tem os olhos postos no futuro deste evento, o marco histórico que representa o setor da cerveja nacional, para dar passos mais ambiciosos.


"A procura de novos públicos e a consolidação da marca ArtBeerFest Caminha no imaginário dos melhores festivais de cerveja do mundo, são a estratégia desenhada para a próxima década do evento", adianta.


"Animação redobrada e investimento no marketing e comunicação internacional para atrair a Caminha um turismo de grande qualidade, criando melhores condições de sustentabilidade económica para o território, são os objectivos fundamentais da parceria comum entre a OG&ASSOCIADOS organizador, e o Município de Caminha como promotor", acrescenta a organização.


Recorde-se que já em 2024, foi publicado um estudo independente pela Universidade de Trás-Os-Montes e pelo Politécnico de Viana do Castelo, em que "o resultado da pesquisa mostra o impacto positivo no concelho, com uma injeção à economia local de mais de 6 milhões de euros na semana do evento." Outro estudo académico em curso revela o consistente impacto que a marca gera nos meios e canais internacionais da cultura cervejeira, e o retorno tangível e intangível que traz a Caminha e região.






0 comentário

Comments


bottom of page