top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Autarca de Viana do Castelo reafirma investimento no Mar no Fórum Económico "A Galicia que Viene"

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, participou ontem no Fórum Económico “A Galicia que Viene”, onde marcou presença numa mesa redonda com o Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-Norte), António Cunha, a Secretária geral da Indústria da Xunta de Galicia, Paula Uría, a diretora de comunicação da Eurorregião Galiza-Norte de Portugal, Begoña Íñiguez, para debater as oportunidades de cooperação transfronteiriça nas energias oceânicas.





dois homens e duas mulheres de pé, olhando em frente

A sessão da tarde, na qual marcou presença o autarca vianense, contou com o Vice-presidente primeiro e conselheiro de Economia, Empresa e Inovação da Xunta de Galicia, Francisco Conde. Na mesa redonda, Luís Nobre defendeu um modelo de governação de proximidade que implique todos os interesses desde o primeiro momento, salvaguardando os interesses já existentes, como a pesca, mas que crie condições para os novos interesses que estão a surgir no âmbito da economia do mar, nomeadamente das energias oceânicas.

dois homens e duas mulheres sentados em cadeiras amarelas

No fórum, Luís Nobre apresentou a Agenda do Mar 20-30, elaborada pelo município, mas que envolveu o contributo de cerca de meia centena de líderes da economia do mar e dos agentes locais. Luís Nobre realçou, por isso, que "esta agenda é um documento estratégico, colaborativo e cooperativo que foi construído em articulação e com a participação de múltiplos agentes e entidades."


Luís Nobre indicou ainda que Viana do Castelo tem estado na vanguarda no que toca à produção de energias renováveis, desde a instalação, em 2005, da alemã Enercon no concelho. Os recentes investimentos nas energias renováveis oceânicas dos projetos Windfloat e da Corpower, na energia das ondas, vieram reforçar o facto de o concelho apresentar condições naturais únicas na costa portuguesa para incrementar ainda mais este potencial energético renovável offshore.


Desde 2018, Viana do Castelo conta com o projeto Windfloat, o maior projeto europeu de energias eólicas em plataformas flutuantes liderado pela EDP Inovação, mas agora conta também um projeto de aproveitamento de energia das ondas, através de uma empresa sueca - CorPower Ocean – que instalou na cidade uma unidade de produção destes equipamentos.


Luís Nobre apresentou ainda o trabalho que o município tem desenvolvido no que toca à sensibilização no domínio da sustentabilidade ambiental e literacia para os temas do mar, frisando a relação que Viana do Castelo sempre teve com o mar.


“Pretendemos continuar a liderar esta aposta. Acreditamos que esta nova fileira ligada às energias renováveis é uma área de desenvolvimento económico muito completa e que trabalha a resiliência para os territórios porque impacta agentes e atividades já existentes, como a metalomecânica, a construção e a reparação naval”, indicou, considerando que a mesma “impacta os fatores de competitividade existentes, como o Porto de Mar e a infraestrutura ferroviária”, tendo ainda uma ação de complementaridade sobre interesses já existentes, como a pesca.


O autarca recordou que esta aposta nas energias renováveis deve ainda envolver a academia no desenvolvimento e inovação, trazendo novas oportunidades para investimentos já existentes e para quem quer investir, gerando novos serviços, novas atividades e desenvolvimento no setor da tecnologia.


O Fórum Económico Espanhol “La Galicia que Viene” decorre até hoje na Corunha, contando com a participação de autarcas, peritos, personalidades e profissionais relevantes de grandes e médias empresas que são fundamentais para o futuro da Galiza. O fórum apresenta-se como um projeto ambicioso com diferentes sessões para analisar os desafios que a Galiza enfrenta.




0 comentário

Comments


bottom of page