top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Autarca de Viana garante que "maior investimento na saúde" é resposta "aos anseios da população"

Declarações feita pelo Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, na abertura do II Oftalgest Viana, que acontece entre hoje e amanhã no Teatro Municipal Sá de Miranda e que contou com a presença do Secretário de Estado da Saúde, Ricardo Mestre.




homem de fato cinzento e gravata vermelha discursando no palanque

O Presidente da Câmara Municipal, Luís Nobre, assumiu que Viana do Castelo tem desenvolvido, “especialmente a partir da experiência pandémica”, um “maior investimento na saúde” por saber “que é um dos anseios da nossa população”.


O autarca, que discursava na abertura da segunda edição do Oftalgest Viana, assegurou que, num inquérito promovido no pós-pandemia, “mais de 85% dos vianenses assumiram que a saúde era uma das suas maiores preocupações, pelo que assumimos de forma clara este investimento”.


Desde então, frisou, o Município criou um pelouro da saúde “que faz toda a diferença para a concretização e antecipação da nossa estratégia”. Luís Nobre realçou que, no último ano e meio, a autarquia investiu mais de 500 mil euros em cuidados de saúde, destacando a Unidade Móvel de Saúde, criada pela Câmara Municipal em parceria com o Centro Humanitário do Alto Minho – Cruz Vermelha Portuguesa, que já percorreu 24 freguesias, realizando mais de 5.000 atendimentos e interagindo com mais de 12.000 vianenses, “o que certamente permitiu aliviar o Serviço Nacional de Saúde”.


O responsável abordou ainda a construção da Unidade de Saúde Familiar (USF) da Meadela, em fase de conclusão, que representa um investimento de 2,5 milhões de euros, bem como o “compromisso para o qual estamos a trabalhar” que é a futura USF de Alvarães.


Luís Nobre informou ainda que o Município está a trabalhar na concretização da Estratégia Municipal de Saúde, que o Conselho Municipal da Saúde já teve uma reunião preliminar, referindo ainda que o Programa Municipal de Apoio aos Cuidadores Informais está em fase de consulta pública.


Na sessão, o Secretário de Estado da Saúde indicou que “a oftalmologia, a gestão e a integração são os três pilares deste Oftalgest”, afirmando que “a oftalmologia é uma das especialidades base do SNS” já que cerca de 20% do total de consultas pedidas pelos médicos à especialidade são para oftalmologia e que 25% dos doentes operados pelo SNS são também nesta especialidade.

homem de fato azul escuro e gravata azul clara discursando no palanque
Ricardo Mestre - Secretário de Estado da Saúde

Na sessão de abertura, marcaram também presença o Coordenador OftalGest, Sérgio Azevedo, o Presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Franklim Ramos, o Presidente do Colégio de Oftalmologia, Augusto Magalhães, a Presidente da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, Rita Flores, o Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), Xavier Barreto, o Presidente da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), Victor Herdeiro, e ainda a Direção Executiva do SNS, representada por Fátima Fonseca.

grupo de pessoas de pé, num palco posando para a foto

Centrado na gestão em oftalmologia, o Oftalgest reúne novamente todos os ‘stakeholders’ do sistema de saúde à volta da oftalmologia. Numa perspetiva macro, esta segunda edição visa abordar o sistema de saúde de uma forma global, continuando a promover a dimensão da Oftalmologia e a integração entre clínicos e gestores.


O Oftalgest promove, assim, a aproximação entre clínicos, gestores, administradores e responsáveis políticos para o debate sobre a evolução do sistema de saúde tendo como ponto de partida a oftalmologia. A segunda edição tem como título “Sistema de Saúde Integrado” e aborda, além do SNS, os setores privado e social e os diferentes modelos de articulação e cooperação.




0 comentário

Comments


bottom of page