top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Caminha sem novos casos de Legionella há três dias. Os sete infetados mantêm-se em situação estável

O surto de Legionella no concelho de Caminha regista, à data de hoje, uma evolução positiva, sem novos casos e sem fatalidades, revelou o Município numa nota enviada às redações. Mantêm-se os sete infetados no total, todos estáveis do ponto de vista da evolução da doença. Prossegue entretanto a investigação ambiental, que visa identificar a origem do surto, "sem conclusões até ao momento", adianta.




cientista manipulando tubo com bactérias, identificado como "Legionella"

Recorde-se que o primeiro caso foi notificado no passado dia 10 de novembro às Autoridades de Saúde. A Unidade de Saúde Pública do Alto Minho iniciou a respetiva investigação ambiental, que continua.


"Há três dias que não se registam novos casos no concelho. Dos já identificados, quatro são pessoas residentes em Vila Praia de Âncora, dois em Moledo e um em Vilarelho", refere nota da autarquia.


A Câmara Municipal encontra-se em permanente contacto com o Delegado de Saúde do Alto Minho.


No passado dia 15 de novembro, em conferência de imprensa, para dar o ponto de situação sobre o surto de Legionella no concelho, o coordenador da Unidade de Saúde Pública, Luís Delgado, deixou uma mensagem de serenidade, garantiu que todos os doentes se encontram estáveis e desaconselhou o encerramento de qualquer equipamento público, designadamente as Piscinas Municipais, onde já foram realizadas análises, defendendo que as medidas preventivas devem respeitar um quadro de proporcionalidade.


Luís Delgado revelou que prossegue o trabalho das autoridades de saúde, com vários técnicos a operar no terreno, com vista à identificação da fonte de contaminação, o que ainda não foi conseguido.


Para o responsável, tudo indica porém que essa fonte esteja em Vila Praia de Âncora, onde vive a maioria dos infetados. Foram entretanto recolhidas várias amostras para análise.


O delegado de saúde afirmou que não há motivo para alarme e disse que o procedimento de quem tiver sintomas (semelhantes aos da gripe) será contactar o SNS 24 e posteriormente, sendo o caso, recorrer ao hospital.


O Presidente da Câmara reafirmou a sintonia e coordenação com a ULSAM, subscrevendo o apelo à serenidade e a confiança nos organismos de saúde pública. Rui Lages garantiu que seguirá as instruções da autoridade de Saúde, rejeitando alarmismo e especulação, e deixou votos de rápido restabelecimento aos infetados.

infografia sobre Legionella
Fonte: cuf.pt





0 comentário

Comentarios


bottom of page