top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

CIM Alto Minho e Galamba discutem projetos para melhorar acessibilidade e competitividade da região

O Conselho Intermunicipal da CIM Alto Minho e o Ministro das Infraestruturas, João Galamba, acompanhado do Secretário de Estado das Infraestruturas, Frederico Francisco, reuniram-se ontem, dia 28 de junho, na delegação da CIM em Valença. O objetivo deste encontro foi debater os principais projetos para melhorar e reforçar as infraestruturas de mobilidade e competitividade económica do Alto Minho.




pessoas em reunião de trabalho

O Alto Minho é uma região com condições favoráveis ao crescimento, à qualificação e ao desenvolvimento da indústria e que se tem vindo a consolidar e a renovar com novos investimentos nos diversos parques empresariais, tirando proveito da ligação aos territórios de fronteira, enquanto território aberto à Europa e ao Mundo.


Assim, um dos principais pontos da agenda de trabalho, de acordo com nota da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, foi "a melhoria das ligações rodoviárias transfronteiriças em torno da fronteira da Madalena e do rio Minho." De entre as propostas apresentadas, destacam-se alguns investimentos também preconizados no PRN 2000 e no PNI 2030, para além de outros investimentos apresentados para os quais serão equacionadas possíveis soluções por parte do Ministério das Infraestruturas.

Na reunião foram também abordados os contributos do Alto Minho para o Plano Nacional Ferroviário, que incluem a "continuação da modernização da linha férrea do Alto Minho (Minho-Porto-Vigo) e a conectividade com a linha ferroviária de alta velocidade destacando-se a importância dessa ligação acontecer a partir de Portugal na estação de Valença e, ao mesmo tempo, a valorização do projeto através de uma estação intermédia em Ponte de Lima.", pode ler-se na nota.

Outro ponto discutido foi a "qualificação do porto de mar de Viana do Castelo", com destaque para a importância do impacto previsto após a construção da nova ponte rodoviária sobre o rio Lima para ligação à zona industrial de Deocriste, o acesso rodoviário do Nó da A28 S. Romão do Neiva ao porto de mar e a necessidade de garantir a conexão ferroviária com o porto de mar de Viana do Castelo, para impulsionar as exportações da região. "Sem esta ligação ferroviária o porto de mar de Viana do Castelo não pode exportar a sua mercadoria pelo corredor do atlântico, uma das mais importantes infraestruturas ferroviárias europeias de transporte de mercadorias, que liga Portugal, Espanha, França e Alemanha."

Segundo o Presidente da CIM Alto Minho, Manoel Batista, as propostas apresentadas estão alinhadas com o “regime de exceções” do Acordo de Parceria do Portugal 2030, uma vez que se referem a infraestruturas rodoviárias localizadas em regiões menos desenvolvidas e a menos de 20 Km da fronteira Portugal/Espanha. O investimento a efetuar é elevado mas resulta da demanda do setor económico e industrial com enorme força em todo o Alto Minho.

homens reunidos a uma mesa de trabalho, discutindo assuntos

Essas prioridades de investimento fundamentam-se na "posição geoestratégica privilegiada do Alto Minho", que concentra uma parte significativa das dinâmicas populacionais, dos fluxos de movimento entre Portugal e Espanha e da sua relevante competitividade económica através da proximidade com a Galiza. A promoção da mobilidade local transfronteiriça, o acesso aos serviços transfronteiriços e o reforço da coesão transfronteiriça são os objetivos principais desses investimentos em infraestruturas de mobilidade. A expectativa é que tais intervenções impulsionem o desenvolvimento socioeconómico da região e melhorem a qualidade de vida da população do Alto Minho.

homens em reunião de trabalho numa mesa em forma de U


0 comentário

Comments


bottom of page