top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

CIM Alto Minho pede reunião urgente com Ministro da Saúde para discutir investimentos no Alto Minho

A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) faz saber que solicitou um pedido de reunião, com caráter de urgência, ao Ministro da Saúde, Manuel Pizarro, para abordar as prioridades de investimento e os desafios enfrentados na área da saúde no território do Alto Minho.




homem de fato e gravata, sentado, sorrindo

Numa nota de imprensa, a CIM Alto Minho justifica a urgência do encontro: "Este pedido surge no seguimento dos contactos estabelecidos anteriormente e das deliberações da última reunião do Conselho Intermunicipal da CIM Alto Minho, realizada na passada segunda-feira, dia 15 de maio, em Viana do Castelo, na qual foi apresentado um conjunto de preocupações pela CIM Alto Minho e pelos seus 10 municípios associados."


Durante a reunião, explica, foram abordados diversos aspetos que merecem uma atenção imediata, nomeadamente "a necessidade urgente de criar condições adequadas de financiamento para investimento e funcionamento dos serviços de saúde no Alto Minho, com enfoque na reabilitação das estruturas e no reforço de recursos físicos e equipamentos nas instalações dos Cuidados de Saúde Primários." A CIM Alto Minho já apresentou um dossier detalhado ao Ministro da Saúde, que inclui um levantamento realizado pela Unidade Local de Saúde Alto Minho (ULSAM) e pelos municípios sobre as necessidades de investimento em saúde na região. "Já foram elaborados projetos de execução e outras peças técnicas, visando a posterior candidatura a fundos comunitários, em particular o PRR-PT, para a concretização de intervenções nas Unidades de Cuidados de Saúde Primários do Alto Minho", adianta.

"A CIM Alto Minho considera que a ULSAM tem vindo a ser fortemente penalizada pelo modelo de financiamento adotado nos últimos anos, enfrentando uma das mais baixas capitações a nível nacional." Esta situação, refere a Comunidade Intermunicipal, coloca em risco a capacidade de investimento em equipamentos e infraestruturas essenciais para uma melhor resposta dos serviços de saúde no Alto Minho, assim como compromete o adequado funcionamento das diversas valências e especialidades oferecidas pela ULSAM.

Durante a reunião, o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, apresentou uma exposição realizada pela Liga dos Amigos do Hospital de Viana do Castelo, que dá nota do lançamento de um abaixo-assinado para auscultar a opinião dos utentes da ULSAM sobre a ausência de um Serviço de Radioterapia no Hospital de Viana do Castelo para o tratamento de pacientes com cancro. O abaixo-assinado já conta com a adesão de mais de 30 mil cidadãos dos 10 concelhos do Alto Minho.

Por fim, foi salientada a "necessidade de designação do Conselho de Administração da ULSAM", uma vez que, explica a CIM Alto Minho, "o mandato dos atuais membros terminou em 2019 e foi prorrogado até 31 de dezembro de 2021, no sentido de dar estabilidade à gestão e funcionamento desta unidade de saúde."







0 comentário

Comments


bottom of page