top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Colesterol elevado: inimigo da fertilidade em homens e mulheres

19 de Maio, 2024

Em maio, assinala-se o "Mês do Coração" e, como tal, os especialistas deixam conselhos para ter uma boa saúde cardiovascular. Sabia que a hipercolesterolemia – colesterol elevado – pode afetar a fertilidade de forma igual em homens e mulheres? Nas mulheres, pode causar alterações hormonais que dificultam a fecundação ou até mesmo causar aborto espontâneo, enquanto nos homens influencia o volume seminal e a morfologia dos espermatozoides.



mão de mulher a segurar um coração vermelho junto ao peito

Embora a maioria da população saiba que o "mau" colesterol (LDL) é responsável por grande parte das doenças cardiovasculares, poucos estão conscientes da sua relação com a infertilidade. O colesterol, só por si não causa infertilidade, mas somado, por exemplo, a uma dieta desequilibrada, hipertensão, ao excesso de peso, também gera circunstâncias desfavoráveis para se alcançar uma gravidez.


O colesterol, precursor essencial das hormonas esteroides, desempenha um papel crucial na reprodução humana. Estradiol, progesterona e testosterona, hormonas-chave para a fecundação, têm a sua origem em células que estão presentes nos ovários e testículos.


mulher de bata branca
Drª Gunes Karakus - médica especialista em ginecologia e obstetrícia

"Nas mulheres, altos níveis de colesterol LDL podem criar desequilíbrios hormonais que dificultam tanto a fertilidade, como uma gravidez de termo. Nos homens, pode causar um menor número de espermatozoides e com pior qualidade, ou mesmo espermatozoides que apresentam morfologia anormal. E se estivermos a falar de um casal em que ambos têm hipercolesterolemia, especialmente se for acompanhada por outros fatores de risco, mais provável será a dificuldade em engravidar", alerta a Dra. Gunes Karakus, médica especialista em ginecologista e obstetrícia.


No entanto, o estrogénio influencia o metabolismo das gorduras, o que favorece a produção do chamado colesterol "bom" (HDL), que é benéfico para a fertilidade, já que os ovários contêm muitos recetores para esse tipo de gordura. Por todas estas razões, é importante manter valores acima de 35 mg/dl nos homens e 40 mg/dl nas mulheres para este tipo de colesterol.


Em maio, mês dedicado ao coração, a Dra. Gunes Karakus, do IVI Lisboa, deixa alguns conselhos e chama a atenção para a importância de ter hábitos saudáveis para desfrutar de uma boa saúde cardiovascular e equilíbrio hormonal, melhorando assim as hipóteses de conseguir engravidar:


• Opte por uma dieta variada baseada no modelo mediterrânico: rica em elementos vegetais, leguminosas, cereais integrais, carnes magras e peixe ómega-3. E, acima de tudo, evite alimentos processados que contenham grandes quantidades de sal e açúcar.

• Pratique atividade física regularmente e mantenha-se ativa no dia a dia com caminhadas, opte pelas escadas em vez de usar o elevador.

• Se fuma, pare de fumar, mesmo que seja apenas ocasionalmente, e não consuma álcool regularmente.

• Se tem tendência para ter níveis elevados de colesterol, e tem diabetes ou hipertensão, é aconselhável realizar análises periódicas para melhor controlar os níveis de lípidos no sangue. 


"Os níveis de colesterol são mais um indicador na análise que fazemos na primeira consulta de avaliação para depois delinear um tratamento personalizado. Da mesma forma, antes de iniciar um tratamento de reprodução assistida, é sempre recomendado monitorizar os hábitos de vida para que sejam o mais saudáveis possível, pois será a melhor base para trabalhar em termos de fertilidade", conclui a médica.


Sobre o IVI – RMANJ​

O IVI nasceu em Espanha, no ano de 1990, como a primeira instituição médica especializada integralmente em Reprodução Assistida. Desde então, já ajudou mais de 250.000 crianças a nascer, graças à aplicação das mais recentes tecnologias. No início de 2017, o IVI fundiu-se com a RMA, tornando-se o maior grupo de reprodução assistida do mundo. Atualmente, possui mais de 80 clínicas e 7 centros de investigação e é líder em medicina reprodutiva.




0 comentário

Comments


bottom of page