top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Companhia Profissional de Teatro de Viana estreia "A Maior Flor do Mundo", de José Saramago



Uma história sobre um menino sonhador que imagina um mundo para lá das montanhas da aldeia em que vive. Ao longo da história, vai fazer nascer "A Maior Flor do Mundo". Esta dramatização da obra de José Saramago estreia dia 15 de outubro, na Sala Experimental do Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo.

A 151ª criação do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, a companhia residente do Teatro Municipal Sá de Miranda, adapta uma história "simples", de José Saramago, para o público infantojuvenil. O espetáculo marca a estreia de Isabel Barros a trabalhar como encenadora na companhia vianense, que considera que a experiência tem sido "maravilhosa".


"Fico muito feliz por fazer parte desta vida assim desta forma; é a questão artística, é a questão humana; é a Companhia; é também o centenário de José Saramago... São muitas questões que me fazem ficar muito feliz por integrar esta encenação com a equipa toda.", refere Isabel Barros.

"As histórias para crianças devem ser escritas com palavras simples. É preciso escolher bem as palavras."

A encenadora explica que a peça teve uma adaptação com alguns elementos que não fazem parte da história original. "Esta peça, escrita pelo José Saramago, é uma história muito pequena, então eu e os atores [Alexandre Calçada e Elisabete Pinto] escrevemos mais texto e cruzámos com o texto original (...) achámos que era importante trazer uma aldeia para este universo, para os meninos saberem quais são os sons da aldeia, e trouxemos alguns personagens que fazem parte do ambiente da aldeia."


A Maior Flor do Mundo pode levar a várias interpretações, por quem a vê, mas traz muitas coisas bonitas e sensíveis: "é uma história simples, mas que nos ensina a dar atenção a uma coisa, neste caso uma flor, que já lá estava há muito tempo, que estava a morrer (...) o menino parte numa aventura e encontra a flor, dá-lhe água e atenção e faz com que a flor ressurja e seja essa a maior flor do mundo.", considera a encenadora.


O espetáculo tem estreia marcada para este sábado, 15 de outubro, às 17h00, na Sala Experimental do Teatro Municipal Sá de Miranda, assinalando também o regresso da Digressão pelas Escolas da companhia.


O diretor artístico do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, Ricardo Simões, explica que, neste momento, "a peça já tem 55 apresentações em 26 escolas só no concelho de Viana, para cerca de 2600 alunos e 180 professores/educadores".


O espetáculo tem um caráter intimista, portátil, pensado para ir às escolas, no âmbito do projeto Teatro Escolar do Serviço Educativo do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana. A digressão pelas escolas do concelho de Viana do Castelo acontece até 16 de dezembro.


Nas escolas que vão receber o espetáculo, será entregue a cada criança uma folha de sala para colorir. A folha tem ainda um testemunho da encenadora e uma mensagem de cada ator, para mais tarde recordar. Posteriormente, uma mediadora da companhia de teatro levará às escolas uma réplica do desenho da flor do cenário, que as crianças poderão recortar, fazendo uma espécie de origami, e com a parte que sobra, resulta um marcador de livro alusivo ao espetáculo. O desafio, explica Ricardo Simões, "é cada criança fazer a sua flor e fazerem uma espécie jardim da sala ou da turma, alusivo ao espetáculo, depois os professores podem tirar fotografias, enviar-nos e nós poderemos fazer essas publicações e, desta forma, fazer o espetáculo perdurar durante o ano letivo."

Com cocriação e interpretação de Alexandre Calçada e Elisabete Pinto, cenografia de José Luís Guimarães, desenho de luz de Bruno Ferreira e apoio aos figurinos de Adriel Filipe, A Maior Flor do Mundo terá também mais uma sessão no Teatro Municipal Sá de Miranda, a 22 de outubro, às 17h00. A sessão de 22 de outubro contará com Reconhecimento de Palco - Ver com as Mãos, Tradução Simultânea para Língua Gestual Portuguesa - GESTU e uma Conversa Pós-Espetáculo - DIGESTIVO.

O preço dos bilhetes para as sessões para público geral varia entre os 4€ e os 10€ e podem ser adquiridos na Bilheteira do Teatro Municipal Sá de Miranda e na BOL – Bilheteira Online.


FOTO: © João Grisantes




0 comentário

Comentarios


bottom of page