top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

CPCJ de Arcos de Valdevez assinalou a importância da prevenção dos maus-tratos na infância



A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Arcos de Valdevez, em articulação com a Câmara Municipal e os vários parceiros, assinalaram mais uma vez, durante o mês de abril, a importância da "Prevenção dos Maus-Tratos na Infância".


Abril é o mês dedicado à sensibilização para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância. Nesse sentido, foram realizadas várias iniciativas para sinalizar esta problemática junto da população, nomeadamente a criação de um hino alusivo ao tema “Fita Azul”*, a realização de uma operação STOP pela GNR, com o envolvimento das crianças e criado um laço humano, em colaboração com o Agrupamento de Escolas.

Estas iniciativas e envolvimento visam contribuir ativamente, para a mudança de atitudes e para a promoção dos direitos e importância das crianças e jovens.


* A Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) iniciou-se em 1989, na Virgínia, E.U.A., quando uma avó, Bonnie Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro “para fazer com que as pessoas se questionassem”. Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” sobre os maus-tratos a que sua neta estava sujeita e os quais já tinham morto outro neto de forma brutal. E porquê azul? Porque apesar de o azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos. Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó ao neto, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram como resultado de abuso infantil e como forma de apoiar as famílias e fortalecer as comunidades nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência.



0 comentário

Comments


bottom of page