top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Docentes e antigos alunos do IPVC vencem prémio internacional de design MUSE Awards 2023

O projeto vencedor do Gold Prize chama-se Deithy Lamp e foi desenvolvido por Liliana Soares e Ermanno Aparo, docentes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), e pelos alumni da licenciatura em Design do Produto e do mestrado em Design Integrado, João Teixeira e Jorge Passos.




candeeiro de pé com luz acesa

Deithy Lamp nasce de uma parceria entre o Politécnico de Viana do Castelo e a Furnor, foi desenvolvido no âmbito do Polo do IPVC/CIAUD (Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design) e, recentemente, venceu o Gold Prize do MUSE Design Awards 2023. O prémio foi organizado pela norte-americana International Awards Associate (IAA) e contou, este ano, com cerca de 6500 inscrições e um leque de 60 jurados, oriundos de 17 países.


O projeto deste conceito de iluminação conjuga a tradição com a inovação e a sustentabilidade com a funcionalidade, valorizando a “poética da luz” nas suas diversas modulações. Foi desenvolvido por Liliana Soares e Ermanno Aparo, docentes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana do Castelo, e pelos alumni da licenciatura em Design do Produto e do mestrado em Design Integrado, João Teixeira e Jorge Passos, em estreita articulação com a Furnor, empresa de Vila Nova de Famalicão com mais de 40 anos de existência, dedicada ao fabrico e acabamento de componente e peças metálicas.

homens e mulher sentados juntos a uma mesa

A identidade sustentável do projeto, que tinha como objetivo rentabilizar as capacidades produtivas da empresa e proporcionar um novo conceito de iluminação, “reflete-se nos cuidados ambientais desde a escolha das matérias-primas, passando pelos processos produtivos e continuando pelo consumo e pelo tipo de interação necessária para o funcionamento do candeeiro”, descreve Liliana Soares.

A docente da ESTG-IPVC acrescenta, ainda, que “a forma do candeeiro refere-se à posição sinuosa de ‘Tribhanga’, usada pelas representações das divindades indianas, criando uma ligação fluida e elegante entre o céu e a terra”. O candeeiro apresenta uma geometria que contrapõe a solidez da base feita em cortiça e a leveza da estrutura em latão dourado, num “equilíbrio criado entre a tecnologia e a poética que se manifesta na gestualidade do utilizador”

Deithy Lamp demonstra a importância da criatividade e colaboração entre Academia e tecido empresarial

A docente Liliana Soares acrescenta que o projeto demonstra a importância da criatividade e da colaboração entre a Academia e o tecido empresarial, pilar fundamental para o Politécnico de Viana do Castelo. Na área do Design, esta simbiose tem tornado a Instituição “uma referência a nível mundial” e que tem contribuído, ativamente, para “implementar a inovação” nas empresas nacionais, ajudando-as a tornarem-se decisivas na qualificação do produto nacional como algo de excelência no mercado global.







0 comentário

Comentários


bottom of page