top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Exposição "Vidas Interrompidas" patente na Casa das Artes de Arcos de Valdevez até 31 de julho


Exposição fotográfica “Vidas Interrompidas” retrata o cenário da aldeia de Aceredo, que ficou submersa há 30 anos, e que hoje está à vista de todos, devido à descida do nível das águas junto à barragem do Soajo-Alto Lindoso, entre Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Ourense, na Galiza.



Abriu ao público na Casa das Artes de Arcos de Valdevez, a exposição fotográfica "Vidas Interrompidas" da arcuense Malta Alves. Natural de Arcos de Valdevez, Marta é uma jovem artista que desde pequena se entusiasma com a arte de fotografar. Gosta especialmente de retratar pessoas singulares em momentos particulares. Porém, há um interesse em desafiar-se e captar imagens que revelem uma importância histórico-social. É curiosa e atrevida na altura do registo, e busca perspetivas que suscitem reflexões.


As fotografias que revelam o cenário da aldeia de Aceredo foram captadas em modo analógico, e retratam essas memórias ímpares de quem por lá viveu anos e, consequentemente, procuram incitar à reflexão do flagelo das alterações climáticas. Atualmente a pequena aldeia de Aceredo é um ponto turístico com a visita de portugueses e de espanhóis, especialmente.


O Município esteve mais uma vez atento aos talentos dos jovens arcuenses e assim, a Vereadora da Câmara Municipal, Emília Cerdeira marcou presença no momento da inauguração da exposição para felicitar a jovem artista pelo seu trabalho e desejar-lhe muito sucesso em projetos futuros.

A jovem artista, ladeada pela Vereadora Emília Cerdeira e pelo Diretor da Casa das Artes, Nuno Soares

A exposição está patente ao público na Casa das Artes até 31 de julho.




0 comentário

Comments


bottom of page