Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Pub

1/1

Paredes de Coura responde com habitação ao crescimento de população ativa

Número total de pessoas ao serviço de empresas aumentou 40,3% e população ativa teve crescimento de 14% em claro contraciclo.


Paredes de Coura registou um aumento de 737 postos de trabalho, bem como um crescimento de 14% da população ativa do concelho de acordo com os dados divulgadas pelo INE (Relatório de Síntese Estatísticas do Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia) para o último período de referência agora divulgado – entre 2014 e 2018.


Ainda de acordo com este documento do Instituto Nacional de Estatística, o número total de pessoas ao serviço de empresas no Concelho de Paredes de Coura aumentou 40,3%, pelo que este concelho do Alto Minho foi também um caso de sucesso na queda do desemprego jovem, reforçado com o facto de no ano de 2018 ter sido o concelho do país que mais diminuiu proporcionalmente o desemprego.


“Os dados agora divulgados apenas traduzem matematicamente o que já sentíamos e aumentam a nossa preocupação para criar condições de habitabilidade que suportem este crescimento”, sustenta Vitor Paulo Pereira, presidente da Câmara de Paredes de Coura, numa apreciação aos números registados pelo INE: “No entanto, não vou esconder que a ordem de grandeza que os números revelam nos surpreendeu. Simultaneamente, fica demonstrado que a estratégia de desenvolvimento que começamos em 2013 é correta e tem sido eficaz.”


Recorde-se que já anteriormente, no período de 2013 a 2015, e de acordo com os dados do relatório “Norte Conjuntura” da CCDR-N, Paredes de Coura registou um crescimento de 700% do volume de bens produzidos para exportação e um volume de exportações sete vezes superior ao de 2013, o maior crescimento das exportações à frente dos restantes 85 concelhos que compõem a Região Norte.


Mais de 80 habitações a custos controlados

Com novos desafios pela frente, no Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos para 2021 está previsto um investimento no valor de 18 M€, com infraestruturação para acolher três novas unidades industriais, das quais duas são pertencentes a setores inovadores e únicas em Portugal.


Complementando esta dinâmica económica e empresarial, na mesma assembleia municipal de 18 de dezembro de 2020 em que foi aprovado PPI para 2021 “foi também aprovada a Estratégia Local de Habitação que garante, no prazo de seis meses, que as famílias com carências habitacionais possam candidatar-se junto do IHRU a obras que lhes permitam melhores condições. No âmbito da mesma estratégia em que já vimos a trabalhar há dois anos, ficou também definido que, no prazo de 2 anos, será feita a construção de 27 fogos a custos controlados e, no prazo de 5 anos, novo projeto de 57 novos fogos a custos controlados”, reforçou Vitor Paulo Pereira.


“Precisamos de flexibilidade na gestão dos investimentos estratégicos”

Perante todos estes desafios, o presidente da Câmara de Paredes de Coura volta a insistir na necessidade de ser voz ativa na defesa do território: “Não nos inibiremos de usar o nosso exemplo para reivindicar junto da gestão de fundos comunitários uma maior flexibilidade para gerir os investimentos estratégicos. É necessário mudar o paradigma atual da gestão de fundos comunitários que se suporta na ideia de que tudo tem de ser tratado de forma igual, quando o fundamental é tratar de forma diferente o que é diferente. Em síntese, precisamos de flexibilidade na gestão, acompanhada do reforço da fiscalização para garantir o cumprimento da legalidade”.


Vitor Paulo Pereira defende que “é impossível implementar qualquer estratégia de desenvolvimento territorial fora de um quadro de criação de emprego e habitação, porque são as pessoas que garantem que tudo isto possa acontecer. É, por isso, essencial deixar um agradecimento especial aos trabalhadores courenses e aos empresários que acreditam que Paredes de Coura é uma terra com futuro”, concluiu.

0 comentário