top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Ponte de Lima acolheu Cruz Peregrina da Jornada Mundial da Juventude



Um dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude, a Cruz peregrina, foi acolhida no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Ponte de Lima.

O executivo municipal, representado pelo Vice-Presidente, Paulo Sousa, e os vereadores Gonçalo Rodrigues e Carlos Lago, recebeu a Cruz Peregrina e a comitiva que a acompanhou no salão nobre.


Na ocasião, foi tocado e interpretado o Hino da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e foi desejado "muito sucesso para o evento, em particular para os jovens do arciprestado de Ponte de Lima da Diocese de Viana do Castelo que estão envolvidos e irão participar neste evento.", refere o Município de Ponte de Lima em nota de imprensa.

Recorde-se que os Símbolos da JMJ encontram-se na Diocese de Viana do Castelo, onde vão estar até dia 29 de janeiro de 2023, peregrinando pelos diversos arciprestados da Diocese.


SÍMBOLOS DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE


A Cruz Peregrina

Com 3,8 metros de altura, a Cruz Peregrina, construída a propósito do Ano Santo, em 1983, foi confiada por João Paulo II aos jovens no Domingo de Ramos do ano seguinte, para que fosse levada por todo o mundo. Desde aí, a Cruz peregrina, feita em madeira, iniciou uma peregrinação que já a levou aos cinco continentes e a quase 90 países. Tem sido encarada como um verdadeiro sinal de fé.


Foi transportada a pé, de barco e, até por meios pouco comuns, como trenós, gruas ou tratores. Passou pela selva, visitou igrejas, centros de detenção juvenis, prisões, escolas, universidades, hospitais, monumentos e centros comerciais. No percurso, enfrentou muitos obstáculos: desde greves aéreas a dificuldades de transporte, designadamente, a impossibilidade de viajar por não caber em nenhum dos aviões disponíveis.


Tem-se afirmado como um sinal de esperança em locais particularmente sensíveis. Em 1985, esteve em Praga, na atual República Checa, numa altura em que a Europa estava dividida pela "cortina de ferro", sendo, nesse local, sinal de comunhão com o Papa.


Pouco depois do 11 de setembro de 2001, viajou até ao Ground Zero, em Nova Iorque, onde ocorreram os ataques terroristas que vitimaram quase 3000 pessoas. Passou também pelo Ruanda, em 2006, depois de o país ter sido assolado pela guerra civil.


O ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani

Desde 2003 que a Cruz Peregrina conta com a companhia do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços. Este ícone foi introduzido pelo Papa João Paulo II como símbolo da presença de Maria junto dos jovens.


Com 1,20 metros de altura e 80 centímetros de largura, o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani está associado a uma das mais populares devoções marianas em Itália. É antiga a tradição de o levar em procissão pelas ruas de Roma, para afastar perigos e desgraças ou colocar fim a pestes.


O ícone original encontra-se na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, sendo visitado pelo Papa Francisco que ali reza e deixa um ramo de flores, antes e depois de cada viagem apostólica.


O QUE É A JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE?


A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. "Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja.", lê-se no site oficial da JMJ.


Ao longo de uma semana, os jovens provenientes de todo o mundo são acolhidos, na sua maioria, em instalações públicas (ginásios, escolas, pavilhões…) e paroquiais ou em casas de famílias. Além dos momentos de oração, partilha e lazer, os jovens inscritos participam em várias iniciativas organizadas pela equipa da JMJ, em diferentes locais da cidade que a acolhe. Os pontos altos são as celebrações (atos centrais) que contam com a presença do Papa, tais como a cerimónia de acolhimento e abertura, a via-sacra, a vigília e, no último dia, a missa de envio.



0 comentário

Commentaires


bottom of page