top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Unidade Móvel de Saúde já atendeu quase 10 mil pessoas nas freguesias de Viana do Castelo

A Unidade Móvel de Saúde, iniciativa da Câmara Municipal de Viana do Castelo em parceria com o Centro Humanitário do Alto Minho (CHAM), já atendeu, nos últimos três anos, quase 10.000 pessoas em diversas freguesias do concelho vianense, fez saber hoje a autarquia.




carrinha da Saúde Mais Próxima a subir uma estrada

A Unidade desloca-se às freguesias de segunda a sexta-feira, de acordo com uma calendarização anual, assegurando uma resposta direta no âmbito da prestação de cuidados de saúde à população em geral e, em particular, a idosos na sua área de residência.


"Só no ano de 2023, foram promovidos 4.177 atendimentos em 23 freguesias do concelho - Afife, Areosa, Cardielos, Carreço, Carvoeiro, Deão, Freixieiro de Soutelo, Mazarefes, Meixedo, Montaria, Moreira de Geraz do Lima, Mujães, Nogueira, Outeiro, Perre, Santa Leocádia de Geraz do Lima, S. Romão de Neiva, Torre, Vila Fria, Vila Mou, Vila Nova de Anha, Vila de Punhe e Vilar de Murteda", revela nota da autarquia.


Esta é uma valência que a Câmara Municipal e o Centro Humanitário do Alto Minho disponibilizam desde dezembro de 2020, num serviço de proximidade à população no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários. A Unidade Móvel de Saúde tem como missão complementar, apoiar e valorizar os recursos de saúde, assim como, aumentar a solidariedade e prosperidade, mediante a proteção e promoção da saúde, a segurança humana e a melhoria da saúde pública, de acordo com diretrizes da Organização Mundial de Saúde.


"Trata-se de um importante complemento aos cuidados prestados pelo Serviço Nacional de Saúde, promovendo um acompanhamento personalizado às necessidades dos munícipes", acrescenta. Assume como objetivo principal promover a equidade em saúde e reforçar a rede de cuidados de saúde de proximidade, com vista a obter ganhos em saúde a longo prazo. A intervenção na comunidade é preventiva e curativa, promove a saúde e previne a doença, aumentando a literacia em saúde e contribuindo para a mudança de atitudes e comportamentos da população.

 

Desta forma, esta terça-feira o Vereador da Promoção da Saúde, Ricardo Rego, apresentou ao executivo municipal uma proposta, para o ano de 2024, que foi aprovada por unanimidade, de renovação do apoio mensal de 5.000 euros à Cruz Vermelha – Centro Humanitário do Alto Minho para implementação da Unidade Móvel de Saúde, nomeadamente para manutenção da equipa multidisciplinar.

homem careca, de camisa e blazer a falar no púlpito
Ricardo Rego - Vereador da Promoção da Saúde em Viana do Castelo

De acordo com o protocolo entre as duas entidades, são obrigações do Município disponibilizar apoio financeiro; assegurar a disponibilidade de interlocutores para estabelecer a articulação com a Cruz Vermelha Portuguesa – Centro Humanitário do Alto Minho, no âmbito deste protocolo; acompanhar e monitorizar a execução do presente protocolo; articular com o Centro Humanitário do Alto Minho o planeamento e a execução do cronograma de ação da Unidade Móvel de Saúde; assegurar a articulação com os agentes locais no âmbito da implementação deste protocolo; assegurar a articulação com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, E.P.E., com a Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. e com a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, EPE, no âmbito da implementação deste protocolo; contribuir para a melhoria contínua dos serviços prestados; garantir a comunicação no âmbito da execução do presente protocolo, através da criação de materiais de divulgação e da promoção das ações desenvolvidas nos diversos meios de comunicação do Município; partilhar informação com a Cruz Vermelha Portuguesa – Centro Humanitário do Alto Minho nas áreas consideradas necessárias para a execução do protocolo.


São obrigações do Centro Humanitário do Alto Minho: a implementação da Unidade Móvel de Saúde com as seguintes valências/áreas de intervenção: promoção de ações de sensibilização/esclarecimento com variadas temáticas; cuidados de enfermagem (apoio domiciliário, rastreios, vigilância do estado de saúde físico/psíquico); clínica geral (se necessário encaminhamento para consultas de especialidade); análises clínicas; outras atividades associadas aos cuidados de saúde primários.


É também obrigação do CHAM a vertente social na qual se implementará uma unidade de “voluntariado de proximidade”, visando combater a solidão/isolamento social de muitos idosos.



0 comentário

Comments


bottom of page