top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Universidade do Minho cria videojogo para (futuros) enfermeiros treinarem as competências emocionais

A Escola Superior de Enfermagem (ESE) da Universidade do Minho organiza a 16 e 17 de outubro o congresso internacional “Serious Games & Emotional Competence in Higher Education”, juntando 250 participantes de dez países no auditório B1 do campus de Gualtar, em Braga. A iniciativa conclui o projeto europeu homónimo liderado pela professora Lisa Gomes, da ESE, que resultou num curso inovador de competência emocional e num jogo de realidade virtual para desenvolver competências emocionais nos estudantes de enfermagem.




mulher de farda azul escura jogando jogo de realidade virtual

O evento conta ainda com vinte oradores de países como Chile, EUA, Suíça e Países Baixos, além de 24 comunicações livres, afirmando a partilha e a discussão da investigação nesta área.

"A conceção do jogo de realidade virtual para elicitação de emoções é do género escape room, em que entramos numa casa, vemos uma jovem inanimada no chão e vamos obtendo pistas para saber o que sucedeu e aceder a outros espaços", explica a UMinho em nota de imprensa. De forma subtil, prossegue, "testamos as emoções, como medo, alegria, nojo e tristeza. Vamos tocar na mulher? Retirar a chave do lixo infestado de baratas? Atravessar a tábua suspensa? As reações corporais do jogador vão sendo avaliadas por um docente."

ilustração de um jogo de realidade virtual com uma secretária, um caixote do lixo e um machado com sangue no chão
momento do jogo

A ideia do jogo é cativar pelas novas tecnologias os alunos e também os profissionais, tornando-os mais resilientes na sua prática clínica e estimulando os melhores cuidados em contextos múltiplos e exigentes, explica Lisa Gomes. O jogo virtual como instrumento pedagógico do Curso de Competência Emocional preenche também a lacuna de cursos de Enfermagem nacionais e internacionais que enfatizavam a proficiência técnica, negligenciando o desenvolvimento crítico da inteligência emocional dos estudantes.


mulher de blazer preto e blusa rosa, de braços cruzados
Professora Lisa Gomes - coordenadora do projeto europeu

O projeto pioneiro foi elaborado pelas universidades do Minho, Génova (Itália), León (Espanha), Malta (Malta), Suceava (Roménia) e pelo Politécnico de Bragança (IPB), juntando desde 2020 mais de vinte peritos de saúde, educação, ciências sociais, psicologia, informática e engenharia. Este consórcio “Serious Games for Nursing Students” foi financiado com 207 mil euros do Programa Erasmus+, resultando ainda num workshop para capacitar os docentes e num Curso de Competência Emocional, com 30 horas de casos clínicos, prática simulada e realidade virtual.

CONGRESSO COM MUITA PROCURA

O congresso abriu esta segunda-feira, às 9h30, com a conferência de Augusta Branco, do IPB. A abertura oficial aconteceu pelas 10h15, com intervenções da pró-reitora para os Projetos Científicos e Gestão da Investigação da UMinho, Sandra Paiva, a presidente da ESE, Esperança Gago e a coordenadora do projeto e chair do congresso, Lisa Gomes. Seguem-se temas como comunicação terapêutica, burnout, arte e saúde, ensino inovador e gamificação, além de casos de estudo e de boas práticas. A conferência final é na terça-feira, às 16h15, com Nancy Sullivan, da Escola de Enfermagem Johns Hopkins de Baltimore (EUA). “O volume de inscritos e de submissões de trabalhos, bem como a representatividade geográfica e de temas, mostram a importância deste congresso e da aposta na nossa linha de investigação, visando responder aos desafios emergentes de uma sociedade aparentemente mais acelerada, individualizada e digital”, refere Lisa Gomes.




0 comentário

Comments


bottom of page