top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

Viana do Castelo celebra Dia Nacional dos Moinhos Abertos com visitas grátis aos moinhos do concelho

Nos dias 7, 15 e 16 de abril, para assinalar o Dia Nacional dos Moinhos Abertos, diversos moinhos do concelho de Viana do Castelo vão estar disponíveis para visita gratuita.




moinho de vento vintage, num descampado

Como forma de assinalar a efeméride, estarão de portas abertas, em horários distintos, os Moinhos de Vento, em Carreço; o Moinho de Água do Inácio, em Vila de Punhe; o Moinho de Água de Espantar, em São Lourenço da Montaria; a Azenha do Maral, em Outeiro; e o Moinho de Maré das Azenhas de D. Prior, no Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA), em Viana do Castelo. Consulte o programa completo em www.moinhosdeportugal.org.


Esta é uma iniciativa de alcance nacional e ampla divulgação que tem como principal intuito apelar ao inestimável valor patrimonial dos moinhos tradicionais, por forma a motivar e coordenar vontades e esforços de proprietários, organizações associativas, autarquias locais, museus, investigadores, molinólogos, entusiastas e amigos dos moinhos.

ilustração em forma de selo, com um moinho de vento

A Rede Portuguesa de Moinhos, com o apoio da TIMS, Sociedade Internacional de Molinologia, organiza a iniciativa "Moinhos Abertos de Portugal", no âmbito do Dia Nacional dos Moinhos que se assinala, anualmente, a 7 de abril.


Desde 2008 que o Município de Viana do Castelo integra a Rede Portuguesa de Moinhos e, como em anos anteriores, irá fazer parte desta iniciativa.


O Moinho de Maré das Azenhas de D. Prior é o único Moinho de Maré existente no concelho de Viana do Castelo. Tal como no caso das azenhas, é um edifício robusto, com necessidade de uma preparação do local de implementação, uma vez que funciona com a diferença entre a preia-mar e a baixa-mar, precisa de condições específicas: proximidade da costa, geralmente no estuário dos rios, no local onde as águas do rio, sob a pressão da maré-alta, crescem para a margem, alargando-a. Este moinho foi mandado construir pelo Abade de Lobrigos, no início do século XIX, para o abastecimento de farinha à cidade. No início do século XX, o comerciante Jules Deveze substituiu o mecanismo de madeira por outro de ferro, que é o que podemos ver hoje. Deixou de funcionar nos anos 30. O Moinho de Maré pode ser visitado nos dias 15 e 16 de abril, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.




0 comentário

Comments


bottom of page