top of page

Peneda Gerês TV

Multimédia e Comunicação

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram

Pub

XXIV Encontros de Cinema de Viana, de 2 a 14 de maio, com conferências, mesas-redondas, secções competitivas, oficinas, exposições e muitos, muitos filmes

Os Encontros de Cinema de Viana estão de volta com uma 24ª edição dedicada à capacidade formativa e pedagógica do cinema. São vários os espaços de partilha e discussão que, entre os dias 2 e 14 de maio, juntam profissionais, estudantes e público numa celebração do Cinema. Conferências, mesas-redondas, secções competitivas, oficinas, exposições, e, acima de tudo, muitos filmes.




homens e mulher segurando um cartaz de encontros de cinema

Os Encontros de Cinema de Viana são organizados pela Associação AO NORTE, em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo; são um espaço de partilha e discussão. Na conferência de apresentação do evento, esta terça-feira, marcaram presença o Vereador da Cultura e da Educação, Manuel Vitorino; o diretor executivo dos Encontros de Cinema de Viana, Rui Ramos; Elisa Santos, do projeto de intercâmbio com a Galiza, e Daniel Maciel, coordenador da Conferência Internacional de Cinema.


O Vereador da Câmara Municipal de Viana do Castelo assumiu que este é “um evento marcante na cidade pelas várias dimensões que comporta”, destacando a interligação entre “o binómio cultura e educação, que estão aqui profundamente imbrincados.”


“Existe uma intencionalidade pedagógica e da formação de públicos. O cinema é um veículo difusor do estado da arte, da ciência, difusor da cultura nas suas diferentes expressões”, indicou Manuel Vitorino, assumindo que este é “um evento muito bem estruturado e que merece ser acarinhado por todos os vianenses, pelos vizinhos da Galiza e por todos os que nos visitam”.


Já o diretor executivo dos Encontros de Cinema de Viana (ECVC), Rui Ramos, referiu que esta edição acontece “sob a égide dos 30 anos da Associação AO NORTE e dos 50 anos de Abril”. “Os Encontros evoluíram e adaptaram-se ao longo de 24 anos e, atualmente, são o único festival, a nível nacional, com um foco exclusivo na capacidade formativa e pedagógica do cinema”, realçou.


Afirmam-se como uma experiência única no meio cultural da região e do país ao proporcionar um espaço comum de partilha, formação e debate em que confluem estudantes de cinema e das escolas da região, cineclubistas de Portugal e da Galiza e público em geral, enriquecido com a participação ativa de profissionais deste meio artístico. Este espaço de exibição, divulgação e reflexão aposta numa forte ligação aos mais jovens, à convocação de um espectro amplo e plural de públicos e ao estímulo do trabalho criativo sobre a imagem e do seu poder para representar o que nos rodeia. Nesta edição, os Encontros de Cinema irão dividir-se entre Teatro Municipal Sá de Miranda, Cinema Verde Viana, Escola Superior de Educação e outros locais, devendo toda a programação ser consultada no site http://www.encontrosdecinema.pt.

cartaz dos XXIV Encontros de Cinema de Viana

Para a edição de 2024 estão já inscritos mais de 3000 alunos para participarem nas diferentes atividades, centenas de professores de mais de 100 escolas do concelho, da região, do país e até do estrangeiro, nomeadamente, um aluno proveniente da Eslováquia.


Um dos principais destaques da programação dos Encontros de Viana é a Conferência Internacional de Cinema, que ocorre de 6 a 10 de maio, na Escola Superior de Educação de Viana do Castelo. Na edição de 2024, a Conferência traz-nos um espaço de reflexão e de partilha de experiências visando a construção de uma comunidade internacional de interesses e de divulgação de projetos relacionados com temáticas centrais do cinema e do audiovisual - cinema e escola, cinema: arte, ciência e cultura, e fotografia e memória. Destaque para a palestra inaugural, às 11h00, Do Cinema como Arte Melancólica, por Maria Brás Ferreira, com moderação de Tomé Quadros, e a mesa-redonda Revoluções no/do cinema, com Gerald Bär, Luís Carlos Gonçalves, Ana Catarina Lima e André Campos.


Integrado nos programas da Con­ferência Internacional de Cinema e com coordenação de Paulo Cunha (UBI), o Work In Progress vai apresentar e debater presencialmente projetos de investigação em desenvolvi­mento no contexto de doutoramento nas áreas do cinema, audiovisual e novos média.


Destaque para o Fórum Cinema e Escola, no dia 10 de maio, também na Escola Superior de Educação de Viana do Castelo, um encontro que pretende "refletir sobre a literacia para o cinema, partilhar experiências e práticas pedagógicas em Portugal e na Galiza e contribuir para criar sinergias entre os projetos de educação para o cinema, os professores, as comunidades educativas e os agentes culturais."

cartaz do fórum CINEMA e ESCOLA

Nos dias 10, 11 e 12 de maio, o Teatro Municipal Sá de Miranda acolhe mais uma edição dos Olhares Frontais que, segundo o programador, Pedro Sena Nunes, “o motor da programação dos Olhares Frontais, no ano em que comemoramos os 50 anos de Abril, é o encontro com a imaginação e a fantasia como uma chave de mudança. O encontro com o futuro só pode ser feito quando tornamos o passado presente, e os Encontros de Cinema de Viana procuram fazer esse exercício”.


Este ano, a escola internacional convidada é a The Academy of Performing Arts - Film and Television Faculty (VSMU - 1990) e será representada por Radek Ševčík que partilhará as metodologias pedagógicas e uma coleção de curtas-metragens.


A EFA – European Film Academy é uma referência do programa e um farol das Melhores Curtas-Metragens Europeias. Este ano contamos com os filmes de Manuel Muñoz Rivas, Susanna Flock, Robin Klengel, Leonhard Müllner e Michael Stumpf, Flóra Anna Buda, Jorge Cadena e Christian Avilés.


Este ano o destaque vai para o filme “Bom Povo Português” do realizador Rui Simões, que será apresentado pelo crítico António Roma Torres, a longa-metragem documental “Melusinas à Margem do Rio“ da jovem e promissora realizadora Mélanie Pereira que ainda recentemente participou como aluna no PrimeirOlhar. Num diálogo improvável entre filmes, celebramos os 50 anos de Abril com os realizadores: Leonor Noivo, Basil da Cunha, Dimitri Mihajlovic, Miguel Lima, Simão Cayatte e Abi Feijó.


A paisagem de propostas tem um ponto de partida celebratório e passa por articular filmes de vários géneros e anos. Existe um cruzamento de jovens promissores cineastas com o universo de profissionais consagrados. O objetivo é desencadear a renovação e o contínuo desenvolvimento de públicos.


Na programação dos Olhares Frontais, destaque ainda para o Prémio PrimeirOlhar, uma secção competitiva que visa premiar trabalhos realizados por estudantes de cinema ou audiovisuais, provenientes de escolas de Portugal, Galiza, Brasil e outros países de Língua Portuguesa.


Nos Encontros, os estudantes de 1.º, 2.º e 3.º Ciclos e Secundário terão, também, uma secção competitiva através do Ação10! Festival de Vídeo Escolar, a decorrer no dia 14 de maio, no Teatro Municipal Sá de Miranda.


A secção Trabalhos de Casa, dividida em quatro sessões, Cinepoesia 1 e 2, Vamos Fazer Um Filme? e Histórias na Praça, apresenta, no Teatro Municipal Sá de Miranda, nos dias 6, 7, 8 e 9 de maio, os resultados fílmicos de várias iniciativas pedagógicas promovidas, durante o ano letivo, com várias escolas de áreas geográficas próximas e de ciclos escolares distintos.


Os Encontros de Viana abrem, ainda, as portas às escolas na secção Escola no Cinema, com a exibição de vários filmes em sala de cinema e, posteriormente, discutidos na sala de aula. Um incentivo à inclusão do cinema em contextos pedagógicos que encontra ressonância nas ações de formação para professores A História do cinema em 40 Sequências, orientada por Felipe M. Guerra, e Filmar e Editar com Telemóvel, por Ana Moreiras.


De 6 a 10 de maio as escolas vão receber as oficinas de formação Stop-Motion (Animação de Recortes), orientada por Carolina Bonzinho e Inês Costa, A História do Cinema, por Felipe M. Guerra, e Histórias na Praça, por Pedro Sena Nunes, uma oficina de criação cinematográfica destinada a alunos do ensino básico e secundário.


Destaque ainda para o Encontro Luso-Galaico de Cineclubes, no dia 10 de maio, que tem como tema principal os Direitos de Autor. Inês Rebanda Coelho vai abordar os direitos que afetam a produção e a distribuição de cinema na Galiza e em Portugal e os filmes em domínio público de diferentes nacionalidades.


No dia 13 de maio, Tiago Manuel, diretor da coleção O Filme da Minha Vida, editada pela AO NORTE, e João Sequeira, o autor de One Of Us, o número vinte e sete da coleção, criado a partir do filme Freaks, de Tod Browning, apresentam o livro e inauguram a exposição com as ilustrações da publicação. No dia 6, no Café Concerto do Teatro Municipal Sá de Miranda, também será apresentado o livro 20 Filmes Fundamentais do Cinema Português, com a presença de Paulo Cunha e Diogo Costa, e a projeção do filme O Movimento das Coisas, de Manuela Serra.


Com curadoria de Filipe Rodrigues, os Encontros inauguram, no dia 7 de maio, na Galeria da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, Atrás Da Tela (Eu Não Sou Nada), uma exposição inspirada no filme Não Sou Nada – The Nothingness Club, de Edgar Pêra. A exposição celebra a rica tradição da interação entre cinema e pintura, e lança um olhar crítico sobre o papel das tecnologias digitais na transformação da experiência visual e na construção da narrativa histórica.


Às famílias será dedicada a programação dos dias 4 e 5 de maio, com o Filme-Concerto Uma Floresta Animada, pelo Space Ensemble, e com um programa de curtas-metragens de Cinema de Animação em colaboração com o CINANIMA, Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho.



0 comentário

Comments


bottom of page